Liderança

SCRUM – Seja um Cara Rápido, Útil e Maneiro

Scrum
Escrito por DorseyRocha

Você já deve ter ouvido a afirmação “Ele(a) é o cara!”, não? Independente do sujeito da frase ser feminino ou masculino, a mensagem é clara: estamos em frente da pessoa mais especial e importante no assunto, seja ele qual for. Se ainda não é, tem grandes chances de virar um gestor.

Ser o(a) cara em alguma coisa, é o que a maioria de nós almeja na vida, se destacando pelos nossos talentos únicos, por nossos esforços, como pelas qualidades e competências que construímos ao longo da vida e carreira, muitas vezes, por um preço alto. Pois é, não existe almoço grátis!

Mas como dizem os pessimistas, quando chega a nossa vez tudo muda: a internet conecta o mundo inteiro, o conhecimento é compartilhado sem fronteiras, as estruturas organizacionais viram de ponta cabeça e aquela tão sonhada posição, nem existe mais! Novos modelos e metodologias são a bola da vez e aí, quando você pensa que já entendeu tudo, vem algum executivo avisando: “vamos aplicar o SCRUM”.

Discretamente, claro, você tenta descobrir o que essa palavra significa, sempre mantendo aquela aparência de “tô dentro”, até porque fora você já está, e vai tentando decifrar o que é, como funciona e, o principal, como vai mudar a vida e o trabalho. Passa boa parte da semana pesquisando e então “sextou”! Vai pro happy hour com seus colegas e, depois de alguns chopps, descobre que é uma nova metodologia de trabalho em equipe.

Como bom jogador de rugby que você provavelmente não é, acaba por descobrir que o SCRUM é uma jogada desse esporte feita com oito jogadores todos juntos em uma formação 3-4-1, própria para encaixar as cabeças com os oponentes, e geralmente utilizado depois de alguma penalização. Ele representa trabalho em equipe, sincronia, força e inteligência utilizadas rumo ao objetivo. Parece ser bem legal!

Isso sem falar que você começa a compreender que “o rugby é jogado sem armadura, sem fingimento, sem possibilidade de chamar a mãe e o único apoio que um jogador de rugby possui são seus companheiros de time. Eles repetidamente colocam o próprio corpo em risco para livrar o companheiro de time de ser pisoteado, esmagado ou algo que o valha. Esse tipo de entrega cria uma relação praticamente familiar entre os jogadores.”Uauuu!”

Mas como isso é utilizado no nosso trabalho? Trazendo para o mundo dos negócios, o SCRUM transforma-se numa metodologia ágil de gestão de projetos, com ferramentas e funcionalidades que facilitam a coordenação, autonomia e alta produtividade do time. Ah…entendi. Mesmo?

Em outras palavras, vamos descobrir que os novos modelos de negócios, de trabalho e, consequentemente das relações entre os colegas, estão redefinindo a forma como cada profissional, individual e grupalmente, consegue obter resultados de negócios e crescimento na carreira.

Além de ser o(a) “Cara”, precisamos ser Rápidos nas ações e decisões, Úteis no papel que desempenhamos dentro dos times e Maneiros nas relações e no apoio mútuo em busca de grandes realizações.

Assim, aplicando com louvor esse acróstico que acabamos de criar, quem sabe você não consegue virar um “SCRUM MASTER”?!

Escrito por Aliete Traviztki – Consultora da DorseyRocha Consulting. 
Formada em Serviço Social e Mestrado em Filosofia Social 
além de Especialização em Recursos Humanos e MBA em Gestão Estratégica.

Sobre o autor

DorseyRocha

Deixar comentário.

Share This