Gestão por Competências Liderança

A importância da reunião one-on-one na gestão do desempenho

Reunião de desempenho
Escrito por DorseyRocha

Se você lidera pessoas, independentemente da sua posição na estrutura, então você precisa dedicar tempo e esforço para apoiar e instigar o desempenho delas.

A vida no mundo corporativo não é fácil, para dizer o mínimo: um volume sem fim de atividades, reuniões, calls, e-mails e mensagens de whatsapp consomem o tempo das pessoas, em especial dos gestores.

Como consequência, muitos deixam de fazer o que é essencial na sua função de “gestor de pessoas para resultados” que é “liderar pessoas com foco em resultados”. Não basta gerenciar a equipe como um todo ou ter os contatos cotidianos e rápidos com cada colaborador. Isso ajuda e é necessário, mas não suficiente.

A duração e frequência da reunião one-on-one vai depender do nível de desenvolvimento do colaborador – referência Liderança Situacional II®.

Uma hora de reunião a cada quinze dias com cada colaborador, será um bom ponto de partida. Aí você vai ajustando, para mais ou para menos, à medida que julgue necessário.

Gestão do desempenho: como preparar a reunião?

Como pauta, use três pontos:

  • As rotinas de trabalho: como estão? o que está fora do programado? o que o colaborador já fez para corrigir a rota? O que acha que pode fazer diferente e melhor a partir de agora? Como você pode ajudar? Ou seja, tratar o que está abaixo da expectativa;
  • Projetos ou rotinas que exigem atenção especial (ainda que temporariamente): idem anterior; o que muda aqui são os riscos e impactos potenciais nos resultados, no clima e para os stakeholders;
  • Desenvolvimento do colaborador, considerando o modelo de competências utilizado: no que ele é bom? Quais os principais pontos de melhoria necessários? O que ele está fazendo para lidar com isso? Como você pode ajudar? Se nada for feito, qual o impacto nos resultados, clima, relação com stakeholders?

À medida que você, gestor de pessoas, faz as reuniões com frequência de forma disciplinada, promoverá transformação, desenvolvimento e melhorias.

Rapidamente, de maneira consciente ou não, cada colaborador perceberá que você se importa e cuida dos dois principais focos que o gestor deve ter: resultados e pessoas. A maioria dos colaboradores dará uma resposta rápida e positiva à sua abordagem, fazendo mudanças visíveis e positivas.

Se você quer se diferenciar da média dos gestores de pessoas que mergulham nas tarefas operacionais e não fazem a gestão do desempenho, e obter resultados de alta performance da sua equipe, dedique tempo e energia para faça as reuniões one-on-one!

Escrito por Ismael Almeida – Consultor da DorseyRocha Consulting. 
Formado e licenciado em Matemática pela Universidade Bandeirante. Certificado em Coaching Integrado pelo ICI Integrated Coaching Institute e MBA em Gestão Empresarial pela FGV.

Sobre o autor

DorseyRocha

Deixar comentário.

Share This