Desenvolvimento

7 razões para investir em educação corporativa em sua empresa

Escrito por DorseyRocha

Investir em educação corporativa é sinônimo de valorizar o corpo profissional de sua empresa, trazendo como consequência motivadores relevantes para alcançar os resultados pretendidos.

A educação corporativa funciona como medida estratégica para o desenvolvimento de uma empresa, ampliando as habilidades de seus profissionais, melhorando a produtividade das equipes, elevando o nível de satisfação no trabalho e aumentando a aceitação do público com os serviços oferecidos.

Ao trazer benefícios para setores internos e externos, a educação corporativa colabora significativamente para a fidelização de clientes e aumento dos rendimentos da organização a longo prazo.

A seguir, entenda em que consiste a educação corporativa e conheça os principais motivos para adotá-la na sua instituição!

Qual é o conceito de educação corporativa?

Prática de gestão voltada às estratégias de desenvolvimento das pessoas e da empresa, a educação corporativa é o esforço metodológico focado no fortalecimento individual de competências e na elaboração de sistemas eficientes de integração no ambiente organizacional.

Relacionada aos processos de modernização administrativa, ela envolve abordagens múltiplas que estruturam a empresa para ganhos consistentes de produtividade e melhoria do desempenho no curto, médio e longo prazo..

Por que investir em educação corporativa? 

1. Integração favorecida

Uma abordagem inteligente de educação corporativa busca aumentar a dinâmica de colaboração entre os profissionais, formando equipes mais integradas e conscientes das etapas de produção de modo amplo.

Gerenciando os saberes colaborativamente, ela objetiva colocar cada profissional na busca de um entendimento e um protagonismo mais completo de suas funções, a partir dos processos realizados.

O trabalho executado colaborativamente será também capaz de diminuir o estresse dentro e fora do ambiente corporativo, além de valorizar as múltiplas habilidades demandas na realização do trabalho.

As relações sociais, ao se tornarem mais agradáveis e receptivas, formam um espaço mais cordial e de maior empatia entre profissionais e clientes, em todos os níveis.

2. Formação de equipes de alta performance

Poucos entendem com clareza que o “capital humano” é o ativo mais valioso para uma empresa. Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e exigente, as estratégias de captação, retenção, desenvolvimento e fidelização de pessoas são absolutamente críticas para a criação e manutenção de equipes de alta performance.

Um bem formulado – e executado – processo de educativa corporativa cria as condições objetivas para se formar, em toda a estrutura da empresa equipes cada vez mais sólidas e performantes, uma vez que as habilidades requeridas são conhecidas pelas pessoas, as competências são gerenciadas pelos gestores e líderes, e os resultados da empresa em cada área é perseguido com determinação e senso de propósito.

3. Produtividade impulsionada

A educação corporativa tem como base o aumento do engajamento e do foco por parte dos profissionais. A pré-condição é obviamente “a pessoa certa no lugar certo”, ou seja, a seleção de pessoas conforme os perfis profissionais necessários a cada função ou posto de trabalho, sem o que a educação corporativa irá trabalhar em falso. O comprometimento inicial com a boa realização de determinado papel na organização nasce exatamente do sentimento individual de se poder levar a bom termo as responsabilidades assumidas no “contrato formal” de trabalho. Mas é, de fato, o “contrato psicológico” com a empresa que deverá ser trabalhado para se obter níveis crescentes de produtividade, decorrentes do empenho, dedicação e energia com as tarefas e responsabilidades do cargo.

Assim, todo impulso no sentido de maior engajamento na realização do trabalho deverá ser feito, em primeiro lugar pelos gestores imediatos de cada área ou unidade, e sistêmicamente pela organização (leia-se a liderança em geral e a área de educação corporativa em particular) para a melhoria do desempenho e produtividade. Entenda-se produtividade aqui como melhores soluções com maior rapidez, maior eficiência e menos recursos envolvidos, ou dito de outra forma melhoria do tempo de execução de tarefas e atividades, em todos os níveis. 

Em decorrência da prática, é notável a elevação dos níveis de rendimento no ambiente organizacional, gerando maior agilidade para o desenvolvimento de projetos. Aqui, o tempo se torna gerenciado a partir de indicadores de qualidade, e não somente quantitativamente.

4. Auxílio na retenção de talentos

Outro aspecto chave: o investimento nas capacidades internas da empresa precisa ser compatibilizado com a menor rotatividade na contratação de funcionários. Em momentos de crise, a rotatividade muitas vezes fica mascarada: as pessoas permanecem na empresa pela ausência de oportunidades externas, e diminuem seus níveis de engajamento para apenas segurar o trabalho atual. O ciclo de educação corporativo, quando percebido como a criação de ambiente para melhores desempenhos gera – mesmo em situações de pouco crescimento da economia – aumento de percepção de valor pelo empregado.

Assim, a educação corporativa irá contribuir decisivamente para a retenção de talentos. Não importa se a percepção vem da nova maneira de realizar as mesmas tarefas (com maior senso de contribuição), ou se ela decorre do desenvolvimento do profissional em novos projetos ou missões na empresa, mesmo que com o mesmo nível salarial.

5. Pensamento criativo incentivado

A automação de tarefas vem sendo, há um bom tempo, um dos grandes pontos da inovação das empresas. Ao liberar profissionais de funções mecânicas e repetitivas, a adoção de práticas de automoção abre um espaço para a intensificação do potencial criativo dos funcionários. 

A educação corporativa – quando bem articulada com o movimento de inovação mencionado, traz para a dinâmica cotidiana da empresa a capacidade de lidar criativamente, seja com as tarefas mais simples, seja para os postos de maior complexidade.

Ao ser desafiado para mostrar novos comportamentos e competências, o profissional tem a oportunidade de  superar limites, agir com mais garra em atributos individuais pouco conhecidos e utilizados anteriormente,  colaborando para um quadro mais completo da organização.

6. Crescimento profissional intensificado

A educação corporativa, ao se revelar um conjunto de ações bem planejado que demonstre a preocupação da empresa com os seus colaboradores, é capaz de promover o crescimento profissional intensificado em toda a empresa. Este crescimento pode ser medido em pesquisa de satisfação e resultar, com as ações que a organização venha a tomar sobre os resultados de clima obtidos, em novos esforços de desenvolvimento. Esse processo pode e deve ser medido, para ajustes serem feitos nos esforços de melhoria em toda a estrutura e áreas.

7. Competitividade e reputação melhorada

Uma das palavras mais pronunciadas no mundo corporativo é competitividade, conceito que abrange tanto a produtividade, o desempenho organizacional e seu posicionamento no segmento em que atua a empresa. Já a reputação, diz respeito à imagem da organização na sociedade e em seu mercado, reputação esta que é construída ao longo dos anos e que pode ser medida também por pesquisa. Ambos são conceitos que representam ativos intangíveis organizacionais e que são precificados, de alguma forma, pelo mercado financeiro ao se atribuir um determinado valor da empresa. 

Pelas razões acima apontadas, tanto a competitividade como a reputação da empresa podem ser impulsionados por uma educação corporativa consistente. Para isso, a área de educação corporativa precisa fazer essa correlação entre seus esforços e os resultados da organização, por mais difícil que isso possa parecer.    

Responsabilidade da Educação Corporativa

A implementação das políticas e práticas de educação corporativa habitualmente é responsabilidade estratégica da Área de Recursos Humanos,  a quem é atribuído o papel de elaborar as diretrizes de captação, desenvolvimento e educação permanente do seu quadro de pessoal.

Nenhuma outra área tem os instrumentos específicos para provar à alta administração que investir em educação corporativa para a sua empresa é um dos modos mais eficazes de trazer benefícios de crescimento à corporação. Falar a linguagem dos negócios – competitividade, reputação, alto desempenho – e apontar os caminhos para se criar na organização o ambiente da educação continuada é a essência da área de RH na busca do gerenciamento inteligente do maior ativo intangível da instituição.

Não deixe de entrar em contato conosco e conferir quais são as soluções indicadas para a sua empresa. Fale agora mesmo com algum de nossos atendentes!

Sobre o autor

DorseyRocha

Deixar comentário.

Share This